Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]




Homenagem_Artur_Santos.jpg

 

A soprano Ana Paula Russo e o pianista José Bon de Sousa apresentam no próximo sábado à tarde, no Museu da Música, em Lisboa, o CD que gravaram, com canções tradicionais portuguesas, harmonizadas por Artur Santos (1914-1987).
O CD é composto por 13 canções tradicionais e a Sonata para Piano, que valeu a Artur Santos o Prémio Beethoven.
O compositor Artur Santos, que foi também professor no Conservatório Nacional, em Lisboa, desenvolveu várias pesquisas no âmbito da música tradicional portuguesa, tendo pautado toda a sua vida por uma absoluta discrição, que se adensou após a morte da mulher, em 1969, que era "o grande auxiliar dele" no trabalho, disse à Lusa Ana Paula Russo, cita o Notícias ao Minuto.
“Ele era uma pessoa extremamente discreta e, além de discreto, era muito metido com ele, pois podia ser discreto, mas, ao menos, conviver socialmente, mas ele não. E tal se tornou ainda mais evidente depois da morte prematura, em 1969, da sua mulher, que o ajudava muito, nomeadamente nestas recolhas”, disse a sopranos.
No texto que acompanha o CD lê-se: “Mais do que a atividade docente, seria a busca das raízes da música popular, entre os anos 1936 e 1968, que levaram Artur Santos, assumidamente, a ‘descurar’ uma promissora carreira pianística e até de compositor”.
Artur Santos explicou essa sua dedicação. Num excerto citado no 'booklet' do CD, o compositor afirma que procurar perceber “a razão por que, em Portugal, não nascera ainda uma escola de música erudita” e concluiu que “não se fizera ainda o inventário do estudo da música do povo”.
O CD "Homenagem a Artur Santos" inclui oito canções da Beira Baixa, entre as quais “Senhora do Almurtão”, duas da Beira Alta, duas do Baixo Alentejo e uma do "Cancioneiro Rodney Gallop", “Mangerico”, e ainda a Sonata para piano, em quatro andamentos (1935).
Ana Paula Russo cantou algumas destas canções em recitais e trabalhou outras com os alunos no Conservatório, mas a tarefa de as estudar melhor e gravar começou a tomar corpo mais recentemente, com o pianista João Bon de Sousa, seu colega no Conservatório, e que foi um dos últimos alunos de Artur Santos.
Bon de Sousa foi aluno do compositor e pianista, “num contexto muito concreto, o das aulas particulares, que tinha na sua casa, permitindo-lhe uma outra vivência".
Referindo-se às canções agora gravadas, Ana Paula Russo disse que é na harmonização, mais do que no trabalho da voz, que se revela a criatividade do compositor.
“Na parte do piano é que se vê muito bem a riqueza harmónica e a riqueza pianística, em que há partes muito difíceis de tocar, que são tecnicamente exigentes, de um nível pianístico superior, mas quem ouve não dá por isso”, realçou.
Segundo a soprano, Artur Santos foi alguém que “sabia imenso de composição, e que, sobretudo, era um grande pianista”.
Artur Santos é uma pessoa com uma sofisticação de linguagem bastante razoável, mais do que razoável até, há no CD canções absolutamente belíssimas", disse a soprano.
A cantora realçou a “elaboração técnica [das harmonizações de Artur Santos], de uma beleza tão grande, em que a linha melódica que surge por baixo da voz, uma simplicidade dentro do sofisticado, tudo muito limpo, sem pretensões, ou ornamentações despropositadas”.

Autoria e outros dados (tags, etc)




Bem-vindo


Parcerias


Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2014
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2013
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D

Visitas

Flag Counter