Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]




ClaudiaPicado.jpg 

Cláudia Picado representa Portugal no 5.º Festival Internacional de Rondalla, que se realiza a partir até domingo, em Silay, na ilha filipina de Negros, sob o lema “Strings for Unity”.

Portugal participa pela primeira vez neste festival que “pretende reunir representantes de todo o mundo, apoiando e promovendo o intercâmbio musical, celebrando a riqueza e diversidade cultural mundial”, ao lado da Índia, Irão, Israel, Vietname, Coreia do Sul, Espanha, Rússia, Austrália e Tailândia.

“Strings for Unity” visa "reunir representantes de todo o mundo com as suas diferentes performances e ideias musicais, no entanto pertencentes a uma herança comum - o legado da tradição do acompanhamento de instrumentos de cordas dedilhadas".

O festival tem ainda como objetivo, "celebrar a riqueza da diversidade de expressões musicais mundiais", "fortalecer a rede e sustentar iniciativas do Festival de Rondalla", a nível global, promover o intercâmbio musical, "incentivar o ensino, a partilha, 'workshops' e interações, descobrindo novas expressões musicais e desenvolvendo novos repertórios através do intercâmbio musical e cultural".

Entre os músicos participantes neste certame conta-se o quarteto francês de guitarra de clássica Quatuor Eclisses, os tocadores indianos de cítara e tablas, respetivamente, Maluica Chopra e Muthu Kumar, o trio iraniano de cítara persa, The Eishan Trio-persa tar, a Orquestra Chinesa, de Taiwan, o Ensemble NAYA-Praltery, de Israel, e o tocador japonês de “sangen” Udashima Ryu, entre outros.

Cláudia Picado será acompanhada pelos músicos José Manuel Duarte, na guitarra portuguesa, que esteve com a intérprete em Israel, e Hugo Silva, na viola.

A fadista atua no festival filipino, depois da sua estada em Israel, onde gravou um disco para o projeto de fusão musical “Portuguese Fado & Arab Music”, liderado por Amer Nakhleh, diretor da Beit Almusica, uma organização musical árabe com sede em Shafa'amr, cidade no norte de Israel.

O novo álbum de Cláudia Picado, do qual o single de apresentação é "Quando Me Chamas Mulher” (Tiago Torres da Silva/Guilherme Banza), será editado no próximo ano, segundo a sua promotora.

Cláudia Picado canta há 18 anos, venceu vários concursos de fado. Discograficamente estreou-se em 2004 com o álbum “Ausência”, no qual gravou repertório de Amália Rodrigues.

No ano passado, a fadista foi distinguida com a Medalha de Mérito Cultural do concelho do Cadaval, onde nasceu.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)




Bem-vindo


Parcerias


Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2014
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2013
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D

Visitas

Flag Counter