Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]




Camané atua na Bélgica

por FMSimoes, em 29.01.19

CamaneBelgica.jpg

Camané inicia quarta-feira 30 de Janeiro, em Lovaina, uma digressão por cinco palcos belgas de apresentação do seu mais recente álbum, "Camané canta Marceneiro", distinguido com o Prémio Manuel Simões/2018.

Nesta digressão, que encerra no dia 03 de fevereiro no Palácio das Belas-Artes, em Bruxelas, Camané é acompanhado pelo trio de músicos constituído por José Manuel Neto, na guitarra portuguesa, Carlos Manuel Proença, na viola, e Paulo Paz, no contrabaixo, com gravou o álbum “Camané canta Alfredo Marceneiro”, editado em 2017.

Camané atua quarta-feira no Schouwburg, em Lovaina, na região belga da Flandres, e no dia seguinte sobe ao palco do Centro Cultural Zwaneberg, em Heist-op-den-Berg, a 40 quilómetros de Antuérpia.

No dia 01 de fevereiro, os fados de “Camané canta Marceneiro” e outros do repertório do fadista, distinguido em 2017, com um Prémio Carlos Tenco, são escutados no Centro Cultural Belgica, em Dendermonde, e no dia seguinte Gent, na sala de concertos HandelsBeurs.

O álbum “Camané canta Alfredo Marceneiro” recebeu em dezembro último o Prémio Manuel Simões, que distingue o Melhor Álbum de Fado de 2017. Segundo o júri, o CD “evidencia a faceta artesanal e de afetos, património indissociável do fado, que Camané, figura absolutamente maior do panorama fadista, o faz de uma forma natural, sem artifícios nem recursos exógenos, antes na suprema simplicidade fadista, da qual é mestre” e realçou a “interpretação iluminada de um dos repertórios matriciais do fado, numa equação excelente com o acompanhamento instrumental”.

A digressão belga de Camané termina no dia 03 de fevereiro, em Bruxelas, no Palácio das Artes.

De regresso a Portugal, o fadista tem agendando um espetáculo, no dia 09 de fevereiro, no Centro de Artes de Águeda, no distrito de Aveiro, com o pianista Mário Laginha, com quem tem trabalhado e que, entre outros temas, musicou "Ai, Margarida", de Álvaro de Campos, um dos heterónimos de Fernando Pessoa, poetra regular no repertório de Camané.

Autoria e outros dados (tags, etc)

AndreB.jpg

André Baleiro venceu o 15.º concurso internacional SWR Young Opera Stars, realizado em Landau, na Alemanha. O barítono português e a soprano sérvia Aleksandra Jovanovic foram os dois vencedores escolhidos pelo público, após uma Gala de Ópera em que seis cantores convidados, oriundos de França, Alemanha, Portugal, Sérvia, Bósnia-Herzegovina e Azerbaijão, interpretaram árias de ópera, acompanhados pela Deutsche Radio Philharmonie, sob a direção do maestro Enrico.

 O concurso internacional foi criado pelo maestro Emmerich Smola (1922-2011), que promoveu vários jovens talentos operáticos, e a edição deste ano deu origem a um documentário, realizado por Hanna Fischer, que se vai estrear no próximo dia 10 de março, na Alemanha.

André Baleiro, que estudou canto em Berlim com Siegfried Lorenz, tem desenvolvido uma carreira nos palcos nacionais e europeus, designadamente na Alemanha.

O barítono português venceu, em 2016, o Concurso Internacional Robert Schumann, em Zwickau, na Alemanha - https://fmsimoes.blogs.sapo.pt/andre-baleiro-e-o-primeiro-portugues-166883 -, e recebeu “uma distinção na final do prestigiado concurso Das Lied, fundado pelo barítono alemão Thomas Quasthoff”.

André Baleiro, de 29 anos, iniciou a sua formação musical aos dez anos, no Instituto Gregoriano de Lisboa; após frequentar o Curso de Direção Coral e Formação Musical na Escola Superior de Música de Lisboa, deslocou-se para Berlim para estudar Canto na Universidade das Artes, com Siegfried Lorenz, Axel Bauni e Eric Schneider.

O cantor lírico colabora regularmente com a Ópera de Câmara de Munique, no Estado alemão da Baviera, onde se estreou em 2016 no papel de “Fígaro”, da ópera “O Barbeiro de Sevilha”, de Rossini, e em 2014 apresentou-se no papel principal da nova produção da ópera, “Kaspar Hauser”, de F. Schubert com libreto de D. Wilgenbus.

O cantor lírico colaborou com o Coro Gulbenkian, foi bolseiro da Fundação Walter & Charlotte Hamel, em Hannover, e da Fundação Calouste Gulbenkian, em Lisboa.

Foto: DR

Autoria e outros dados (tags, etc)


Pág. 1/9



Bem-vindo


Parcerias


Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D

Visitas

Flag Counter