Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]




 

Parque da Pena - Sintra 

 

Os parques da Pena, em Sintra, e o Terra Nostra, nas Furnas, na ilha açoriana de S. Miguel, foram distinguidos com o prémio “Jardim de Camélias de Excelência”, pela International Camellia Society (ICS), uma distinção, de que não havia ainda qualquer exemplo em Portugal até hoje, torna o Parque da Pena e o Terra Nostra, membros de uma rede internacional de jardins de excelência, no que se refere à sua coleção de camélias.
Fernando Costa, chefe do Parque Terra Nostra, por seu turno, disse à Lusa que o galardão surge na sequência de uma candidatura apresentada à ICS, e destacou que “é também uma mais-valia para o turismo".
O Parque Botânico Terra Nostra acolhe mais de 600 variedades de camélias que o jardineiro Fernando Costa tem vindo a catalogar, a par de "várias experiências", que já resultaram em "novas híbridas, algumas muito interessantes", disse.
Fernando Costa sublinhou que o parque tem camélias únicas, lembrando ainda a exposição de camélias que anualmente atrai centenas de visitantes às Furnas, um dos principais pontos turísticos de São Miguel.
A Parques de Sintra-Monte da Lua (PSML), em comunicado, salienta “a exigência dos critérios de seleção”, que incluí apenas 30 representantes em todo o mundo, dos quais um em Espanha.
Entre os requisitos é exigida uma coleção de camélias com mais de 200 cultivares identificadas com sinalética apropriada e mapeadas com sistemas de georreferenciação, num jardim aberto ao público com um grau de manutenção elevado, explica o PSML.
Para integrar esta lista é necessário reconhecerem-se o desenvolvimento de programas de investigação sobre a coleção de Camélias e a realização de atividades de divulgação e promoção, quer das Camélias em geral quer da coleção do jardim.
No interior do Parque da Pena, que está murado, encontra-se o Palácio da Pena, antiga residência de veraneio da família real, e, no extremo ocidental, o Chalet da Condessa d’Edla.
Esta classificação internacional é resultado de um projeto iniciado pela PSML em 2009, de recuperação e identificação botânica das camélias do parque, idealizado pelo Rei D. Fernando II, marido da Rainha D. Maria II.
Este projeto terminou no ano passado, depois de recuperado o Jardim da Condessa d’Edla, em 2011, da Feteira da Rainha e do Jardim das Camélias.
O projeto implica o estudo, classificação e recuperação da respetiva coleção, que inclui 2.258 exemplares, concentrados principalmente em quatro locais do Parque da Pena: Jardim das Camélias, Jardim Rainha D. Amélia, Jardim da Condessa d’Edla e Alto do Chá. Atualmente estão identificadas 285 cultivares, pertencentes a cinco espécies diferentes.

Foto: Nuno Oliveira PMSL//FMS

Autoria e outros dados (tags, etc)




Bem-vindo


Parcerias


Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D

Visitas

Flag Counter