Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]




Mario Mata CD Pack Exterior.tiff

 

O autor, compositor e cantor Mário Mata edita este mês o seu novo álbum, “Regresso”, ao qual se referiu como “um disco bastante fresco que se ouve bem pela diversidade dos temas”.
Mário Mata afirmou que este novo álbum, editado pela Acid Records, é “um disco bastante fresco, que se ouve bastante bem pela diversidade dos temas, que tem muitas histórias para contar”, cita o Notícias ao Minuto.
“Há outros temas mais intimistas, como ‘A Minha Companheira’, que é muito pessoal”, acrescentou, referindo outras canções do CD como “Já Conheço Esse Olhar”, que definiu como “uma história de amor imaginário”, assim como “Menina Triste”, e “ainda os temas carregados de questões sociais como ‘Já Fomos Enganados’, o próprio [tema] ‘Sonhar é Fixe’, que é um anacronismo sobre a história de Portugal”.
“Este é um disco de relacionamentos e tem crítica social”, sentenciou.
O álbum, com um total de 15 canções de letra e música maioritariamente assinadas por Mário Mata, tem produção de José Cid, que realça, no livrete, que o músico é “talentoso, autêntico, e com rigor poético”.
“Numa altura em que a música portuguesa é em parte descartável, ouço atento um Mário [Mata] com personalidade”, afirma José Cid.
À Lusa, Mário Mata por seu turno afirmou: “Em termos musicais, o meu estilo foi sempre o cruzamento do pop-rock com a música popular portuguesa, eu já o tinha feito em 2005 quando lancei o ‘Dupla Face’, quanto a este novo álbum, é maioritariamente pop-rock, tem o reggae, que é o tema ‘Já Fomos Enganados’, que é sobre as eleições, tem temas de amor e música de festa como o ‘Lá Vai Um’”.
“Sinais do Tempo” (2012), uma edição de autor, que “recebeu bons elogios da crítica”, foi o seu anterior trabalho, ao qual foi buscar “Já conheço esse teu olhar”, uma canção que fez sucesso, afirmou, mas decidiu ir buscá-la, porque queria “dar um ar mais jazzístico à música, que era o que pedia a letra, tendo ficado mais bem interpretada, e tal como a tocava ao vivo”.
Mário Mata assina praticamente a autoria de todas as canções, com exceções para “Então ó Zé” em que partilha a autoria da letra com José António Gonçalves, “Estou a Precisar de Férias”, uma letra sua com José Cid, parceria que repete em “Projeto A 2”, e conta com a participação de José Mário Branco, como compositor.
José Mário Branco é, segundo disse, umas das suas referências, assim como Fausto Bordalo Dias, José Cid e o seu primo Fernando Tordo. José Afonso é outra referência apontada, nomeadamente, “na seriedade dos textos”.
Mário Mata afirmou que gosta de “dar tempo aos discos”, daí ter estado cerca de quatro anos para gravar e referiu “o interesse” de José Cid para a edição deste novo álbum, a sair em maio, mas tem “já mais material para um outro CD”
Mário Mata começou, em 1977, a cantar Bob Dylan, nos bares, “para ganhar estaleca e interação com o público”.

Autoria e outros dados (tags, etc)




Bem-vindo


Parcerias


Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D

Visitas

Flag Counter