Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]




Joana Costa nos Fenianos

por , em 04.07.14

 


O Clube Os Fenianos, no Porto, realiza no sábado, dia 05, às 21:30, um espetáculo de fado que, entre outras participações, conta com o grupo de Antigos Orfeonistas da Universidade do Porto e da fadista Joana Costa, distinguida em 2010 com o Prémio Amália Rodrigues Revelação. Outra fadista que participa é Carla Cortez, que será acompanhada à guitarra portuguesa por Miguel Silva, à viola por António Rodrigues e no contrabaixo por Filipe Teixeira.
Joana Costa, em declarações à Lusa, afirmou que irá interpretar poemas de António Lobo Antunes e Tiago Torres da Silva, entre outros autores. Joana Costa é acompanhada por Amável Carneiro à guitarra portuguesa, Nel Garcia, à viola, e Filipe Teixeira, no contrabaixo.
Segundo biogradia, editada pelo programa dos Prémios Amália, Joana Costa nasceu no Ribatejo. No mesmo texto pode ler-se: «O interesse pelo fado surgiu de forma natural. Ainda menina, Joana Costa participou em vários festivais infantis. Aos nove anos gravou o primeiro disco de canções para meninos da sua idade, e aos 16 estreou-se como fadista numa revista levada à cena na Chamusca. Desde essa altura é o fado que lhe “preenche a alma” como afirmou numa entrevista.
A matriz cultural ribatejana marca-lhe o carácter e os gostos. Canta fados tradicionais e selecciona poemas de José Carlos Ary dos Santos, João Dias, Artur Ribeiro e Vasco de Lima Couto que escolheu o Ribatejo para viver.
A vida de Joana Costa faz-se entre dois paralelos: a psicologia clínica e o fado. Do Ribatejo muda-se, por razões profissionais, para o Porto, onde canta todas as noites, num dos espaços da Invicta.
Grava em 2008 “Recado”, o primeiro álbum que corresponde à “materialização de um sonho” continuando a busca por “melhor e mais conhecer o fado” consciente que de o “fado é fundamentalmente um estado de alma e acontece”, afirma.
O álbum procura recriar uma noite de fados, tendo escolhido criteriosamente poemas de António Lobo Antunes, Tiago Torres da Silva, António Torre da Guia, Pedro Homem de Mello, Ferrer Trindade, Fernando Peres, João Linhares Barbosa e Ary dos Santos.
Aos fados de sempre como “Lisboa garrida”, “Meu corpo”, “Duas lágrimas de orvalho” ou “Sou um fado desta idade”, incluiu inéditos de Lobo Antunes - “Valsa N.º 2 (Na curva do teu ombro)” no Fado Versículo, “Fado Coimbra N.º 4” no Fado Esmeraldinha, e “Recado”, com música de André Teixeira que optou por uma linguagem tradicional – e ainda “São saudades meu amor”, música e letra de António A. Afonso.
A revista Blitz qualificou-a como “elegantemente castiça”. A Visão referiu “uma maturidade surpreendente para um primeiro disco”.
A jovem fadista reconhece referências e afirma que Beatriz da Conceição (Prémio Amália Carreira 2008) “sempre foi uma grande fonte de inspiração».
Joana Costa tem actuado em vários palcos, tendo-se apresentado pela primeira vez em Lisboa, em 2010, no Museu do Fado, numa homenagem da Associação Portuguesa dos Amigos do Fado a Maria Amélia Proença.

Autoria e outros dados (tags, etc)




Bem-vindo


Parcerias


Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D

Visitas

Flag Counter