Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]




pedro_letria_mg_5699.jpg

O fotógrafo Pedro Letria, de 52 anos, foi distinguido com o Prémio António Quadros 2017, anunciou a Fundação António Quadros.

Pedro Letria tem uma carreira e obra que se pautaram "por valores de humanismo e liberdade, além, naturalmente, de uma particular relevância no panorama fotográfico português", valores que "são especialmente relevantes se tomarmos em consideração o papel ímpar que o patrono do prémio, António Quadros, assumiu", afirma o júri.
O júri, que foi presidido por Paulo Ribeiro Baptista, investigador do Museu do Teatro e da Dança, reconhece a "dificuldade de definir resumidamente o significado da extensa obra de Pedro Letria", tendo, na justificação da atribuição do galardão, recorrido a um dos prefaciadores de Pedro Letria, "o destacado historiador e crítico da fotografia, Ian Jeffrey" que, num texto sobre o livro "Mármore" (2007), de autoria do fotógrafo, escreveu, a dado passo: "Se olharmos para uma cena tempo suficiente começamos a perceber o que nela está a acontecer, porque é que as coisas são feitas de uma certa forma. De facto, se algumas fotografias nos ensinam a prática da observação, é isso justamente o que sucede com as de Pedro Letria".
"O júri entende que a vasta obra e a longa carreira de Pedro Letria, distinguidas pelo aprofundamento de valores humanistas e por uma dimensão particular de 'pedagogia da imagem', justificam a atribuição do Prémio António Quadros 2017 Fotografia", remata o júri, que foi constituído ainda por Bruno Santos, docente de Projeto e Tecnologias na especialização de Fotografia na Escola Artística António Arroio e Atelier de Lisboa, Emília Tavares, conservadora e curadora para a área da Fotografia e Multimédia, no Museu Nacional de Arte Contemporânea-Museu do Chiado, em Lisboa, e Filipe Figueiredo, investigador do Centro de Estudos de Teatro na Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa.
O ministro da Cultura, Luís Filipe Castro Mendes, em comunicado, “felicita o fotógrafo Pedro Letria pela atribuição do Prémio António Quadros 2017”, acrescentando que “está também de parabéns, porque esta é a primeira vez que o galardão, destinado a celebrar a vida e a obra de António Quadros, é atribuído à fotografia”.
Nas anteriores edições o prémio, instituído pela Fundação António Quadros, distinguiu personalidades que se distinguiram na Filosofia, Romance, Poesia, Literatura Infanto-Juvenil, Imprensa e Teatro.
Em 2011, na área da filosofia, foi distinguido António Rocha, pela obra “Natureza, Razão e Mistério, Para uma Leitura Comparada de Sampaio (Bruno)”, no ano seguinte, o poeta, atualmente ministro da Cultura, Luís Filipe Castro Mendes, pela obra “Lendas da Índia”, e, em 2013, a romancista Teolinda Gersão, pelo livro “A Cidade de Ulisses”.
Em 2014, na área de Literatura Infanto-Juvenil, foi distinguida a obra “Nunca Digas Nunca!”, de Lara Xavier, com ilustração de Raquel Pinheiro, e, no ano seguinte, na área de imprensa, foi galardoado o semanário Expresso, fundado em janeiro de 1973.
No ano passado, na área de Teatro, a premiada foi a atriz Carmen Dolores, que apresentou, esta semana (na segunda-feira), o seu terceiro livro de memórias, “Vozes Dentro de Mim” http://fmsimoes.blogs.sapo.pt/lembrar-os-bons-momentos-e-as-pessoas-251474.

O distinguido deste ano, Pedro Letria, segundo nota da fundação, vive e trabalha em Lisboa e nas Caldas da Rainha, de onde é natural, e leciona na Escola Superior de Arte e Design do Instituto Politécnico de Leiria.
A sua formação académica inclui um “Master of Fine Arts, Honors”, pela Rhode Island School of Design (2012), nos Estados Unidos, um “Bachelor of Fine Arts”, pela The School of The Art Institute of Chicago, (1987), também nos Estados Unidos, frequentou a Accaddemia di Belle Arte, Perugia, na Itália, e um “International Baccalaureate”, no United World College of the Atlantic, no Reino Unido.
Pedro Letria tem realizado exposições individuais em cidades portuguesas como Alcácer do Sal, Braga, Coimbra, Figueira da Foz, Lisboa, Setúbal, Torres Vedras, e ainda no Brasil e na Bélgica, e participou em várias coletivas, tanto em Portugal como no estrangeiro.
Além de publicações que assina com outros fotógrafos, Letria é autor de “The Club” (2014), “Mármore” (2007, “Inventário” (2003), “Verbos” (2003) “À Descoberta dos Novos Descobridores” (1999), “Terraformada” (1999) e ”E.N. 118“ (1994).

O Prémio António Quadros 2017 será entregue ao fotógrafo no próximo dia 08 de novembro, em Rio Maior, no Ribatejo.

Foto: CooperativaÁrvore/FMS

Autoria e outros dados (tags, etc)




Bem-vindo


Parcerias


Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D

Visitas

Flag Counter