Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]




1749c9f846553d73ef75badcf0da8f4a.jpeg

O espetáculo de homenagem à fadista Celeste Rodrigues, na segunda-feira no Teatro Armando Cortez, em Lisboa, e que encerra o ciclo de homenagens a fadistas iniciado no passado dia 02, está esgotado.

Em declarações à agência Lusa, fonte da Casa do Artista, citada pelo Notícia ao Minutos, que o espetáculo da próxima segunda-feira, às 21:30, que conta com a participação de António Pinto Basto, Cristina Nóbrega, Fábia Rebordão, Jorge Fernando, Ricardo Ribeiro, Marco Rodrigues e Yola Dinis, “já está esgotado”.
Os fadistas vão ser acompanhados por Pedro Castro, na guitarra portuguesa, e Jorge Fernando, na viola. Marco Rodrigues, criador de “O homem do Saldanha”, acompanhar-se-á à viola e, na guitarra portuguesa, será acompanhado por Pedro Viana, com Frederico Gato, na viola baixo.
Além de Celeste Rodrigues, o ciclo de espetáculos homenageou Manuel de Almeida, Fernando Maurício e Ada de Castro. As receitas de bilheteira revertem para a obra social da Casa do Artista.
Os quatro espetáculos totalizaram 700 espetadores, tendo sido o de Celeste Rodrigues, com 320 espetadores, o único que esgotou, segundo a mesma fonte.
Celeste Rodrigues, de 94 anos, conta mais de 60 anos de carreira, do seu repertório fazem parte, entre outros, “Trago na voz o vento”, "Ouvi dizer que me esqueceste”, “O meu nome baila no vento”, entre outros.
Sobre a homenageada, Argentina Santos, afirmou: “A Celeste [Rodrigues] tem uma caixinha de música na garganta”.
Celeste Rodrigues, numa entrevista à Lusa, revelou: “O meu sonho não era ser artista, gostava imenso de cantar no meio dos fadistas, não em público, mas aconteceu”, e referiu a sua timidez e humildade naturais.
A descoberta da fadista aconteceu em 1945, quando o empresário de espetáculos José Miguel a ouviu cantar "numa roda de amigos", e a contratou imediatamente para atuar no Café Casablanca, em Lisboa, no Parque Mayer.
Desde então tem permanecido ativa, tendo pisado os mais variados palcos nacionais e internacionais, além de uma presença constante nas casas de fado lisboetas, designadamente A Viela, Parreirinha de Alfama, de Argentina Santos, O Embuçado, Bacalhau de Molho e Casa de Linhares, entre outros.
"O público tem sido muito bom para mim, não me posso queixar", afirmou a criadora de “Lenda das Algas”, fado escrito para si por Laierte Neves e Jaime Mendes.

celeste-front.jpg

Celeste Rodrigues foi alvo de uma homenagem em 2007, pela Associação dos Amigos do Fado, em 2010, no Cinema S. Jorge, em Lisboa, quando recebeu a Medalha de Mérito, grau Ouro, da Câmara de Lisboa e, em 2011, no Teatro S. Luiz, num espetáculo que contou com a participação, entre outros, de Camané, Raquel Tavares, Mafalda Arnauth, Hélder Moutinho, Tim e Zé Pedro dos Xutos & Pontapés.

A Casa do Artista, em Carnide, é uma associação, sem fins lucrativos, de apoio aos artistas, inaugurada em setembro de 1999.
No âmbito das celebrações dos seus 15 anos, a Casa do Artista tem patente, na sua galeria, a exposição de fotografia “Há quinze anos na fila da sempre”, que apresenta o grupo dos 33 fundadores, entre eles os atores Raul Solnado, Armando Cortez, Alda Pinto, Beatriz Costa, Carmen Dolores, Manuela Maria e Alina Vaz.

Foto: todosempalco.sapo/FMS

Autoria e outros dados (tags, etc)




Bem-vindo


Parcerias


Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D

Visitas

Flag Counter