Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]




04_Foto Joao Vaz (SV 2013) _BR.jpg

 

João Vaz. 

O organista João Vaz e a Capella Patriarcal protagonizam o concerto de Ano Novo do Patriarcado de Lisboa, que se realiza no sábado, dia 17 de janeiro, às 17:00, na Igreja de S. Vicente de Fora, com entrada livre.
O programa, para voz e órgão, é composto por peças dos compositores portugueses João Rodrigues Esteves (1700-1751) e Francisco António de Almeida (1702-1755), anunciou a editora Althun, parceira do Patriarcado nesta iniciativa, que se realiza desde 2006.
O organista João Vaz editou em novembro passado um álbum gravado neste órgão, construído na segunda metade do século XVIII, que inclui peças de compositores portugueses do século XVI ao XVIII.
João Vaz estudou em Lisboa, com Antoine Sibertin-Blanc, e em Saragoça, com José Luis González Uriol; frequentou cursos orientados por Édouard Souberbielle e Joaquim Simões da Hora. Licenciado em arquitetura, é doutorado em Música e Musicologia, com uma tese sobre música portuguesa para órgão do final do século XVIII, pela Universidade de Évora.
Autor de vários artigos sobre música portuguesa para órgão, Vaz foi consultor em diversos restauros de órgãos, nomeadamente dos seis órgãos da Basílica do Palácio-Convento de Mafra. É professor na Escola Superior de Música de Lisboa e dirige o Festival de Órgão da Madeira, assim como as séries de concertos em Mafra e no órgão histórico da Igreja de São Vicente de Fora em Lisboa, de que é organista titular desde 1997. Recentemente, João Vaz realizou recitais em Itália, Áustria, Espanha e Alemanha.
O órgão da Igreja de S. Vicente de Fora, construído em 1765 por João Fontanes, “tem a vantagem de se encontrar em estado quase original”, disse o organista à Lusa, lembrando que o instrumento teve “uma intervenção de restauro de pouca monta em finais do século [XIX] e novamente no século seguinte”, em 1956/57 e, depois, em 1977, cita a Visão.
A última intervenção, mais profunda, foi concluída em 1994, por Claudio e Christine Rainolter, e repôs materiais originais.
Segundo João Vaz, este é “um dos mais importantes e representativos instrumentos barrocos portugueses”. Como explicou, o órgão “possui duas secções independentes, órgão principal e órgão de eco, a que correspondem dois teclados manuais de 47 teclas”.
O grupo Capella Patriarchal, dirigido por João Vaz, vocacionado para música religiosa, é especialista em compositores portugueses desde o século XVI. Constituem a Capella Patriarchal, Mónica Santos e Marisa Figueira (sopranos), Carolina Figueiredo (contralto), João Moreira (tenor), Manuel Rebelo e Sérgio Silva (baixos) e Marta Vicente (contrabaixo).
Além de apresentações em Portugal, o grupo atuou em 2013 em Espanha, no âmbito do 35.º Curso de Música Antigua de Daroca, na região autónoma de Aragão.

Foto: Althum/FMS

Autoria e outros dados (tags, etc)




Bem-vindo


Parcerias


Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D

Visitas

Flag Counter