Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]




 

Capa_1917 O Ano que Mudou o Mundo.jpg

 

 O livro “Factos e Figuras de Fátima – Um Dicionário”, de Helder Guégués, é publicado na quarta-feira, um novo título a juntar à lista de dezenas de edições que assinalam o centenário das “aparições”.

Helder Guègues é autor, entre outros livros, de “Todos os dias com Francisco” (2016), e segundo a editora Clube do Autor, esta obra apresenta Fátima “desde o primeiro dia”, “da tantas vezes esquecida primeira aparição do anjo, até à vinda, agora, do último peregrino, o papa Francisco”.
O centenário das “aparições” em Fátima motivou um conjunto de edições livreiras, nem todas na perspetiva católica, como o livro da jornalista Leonor Xavier, “Peregrinações”, que recolheu testemunhos de 70 personalidades sobre o sentido de “peregrinação”.
“1917. O Ano que Mudou o Mundo”, de Angelo d’Orsi, com prefácio do escritor Miguel Real, é outra obra que, fora do contexto católico, realça os acontecimentos em Fátima no “mês sobrenatural de maio”, como escreve o historiador italiano.
Há semanas, a Porto Editora publicou “Fátima, a Profecia que Assusta o Vaticano”, de autoria do jornalista e escritor João Céu e Silva, obra na qual questiona a terceira parte do “segredo de Fátima”, revelada em 2000, e interroga, “quem será o papa sob ameaça”.
“Nesta investigação sobre os cem anos das aparições de Fátima tentou-se encontrar uma resposta para quem será o papa sobre ameaça. Sobretudo, se estará correta a reivindicação de João Paulo II como protagonista do segredo que os pastorinhos guardaram”, segundo a Porto Editora.

papa_e_francisco.jpg

Logo em janeiro passado, esta editora publicou “Fátima – Milagre ou Construção?”, da jornalista Patrícia Carvalho.

Com a chancela da Elsinore será publicado em maio “As Guerras de Fátima”, do jornalista Paulo Moura, “uma investigação histórica e jornalística com base na análise de documentos produzidos ao longo dos últimos cem anos, e em entrevistas com os protagonistas ainda vivos da mais delirante intriga político-religiosa do século XX”, adiantou à agência Lusa fonte editorial.
Segundo a mesma fonte, “20 anos depois das aparições, o clero português, por influência dos líderes políticos do Estado Novo, que por sua vez se encontravam pressionados pela Alemanha, influenciaram a irmã Lúcia para que revelasse um segundo segredo de Fátima: a Rússia era a causa de todas as guerras e deveria ser convertida”.
Outra obra a editar é “Fátima: Toda a Verdade”, de Saverio Gaeta, autor de mais de 60 títulos, que iniciou carreira como jornalista no semanário católico Nuova Stagione, e mais tarde fez parte da redação do jornal da Santa Sé, L'Osservatore Romano, e é desde 1991 editor-chefe do semanário Famiglia Cristiana.
No contexto do centenário, a Tinta da China publica, no próximo dia 13, em versão “livro de bolso”, “O Sol Bailou ao Meio-Dia. A criação de Fátima”, de Luís Filipe Torgal, com prefácio do historiador Fernando Rosas.
Segundo a editora, o autor “analisa sem agenda religiosa o modo como a Igreja Católica estimulou, disciplinou e enquadrou ideologicamente o culto, transformando-o num fenómeno e instrumentalizando-o a seu favor”.
Esta semana foi publicado pela Porto Editora o álbum de fotografias “Fátima - Enquanto Houver Portugueses” de Alfredo Cunha, com introdução do jornalista António Marujo, coautor com Rui Paulo da Cruz, de “A Senhora de Maio: Todas as Perguntas sobre Fátima”, editado em fevereiro.
A editora católica Paulus publica, este mês, um livro ilustrado intitulado “Nossa Senhora de Fátima e o Poder da Oração”, de João Carvalho, uma obra “onde se revelam as orações ensinadas e mandadas rezar pelo anjo e por Nossa Senhora”, segundo a editora.

Papa Francisco.jpg

A Paulus publica, também este mês, “Cartas que a Oração Escreveu. Um Seminarista à Irmã Lúcia”, do padre João Luís Silva, uma constituída por uma “série de cartas que o autor escreveu imaginariamente à irmã Lúcia, vidente de Fátima, como se de um diálogo espiritual se tratasse”, explicou fonte da Paulus.

Um livro/CD é outra edição em perspetiva, intitula-se “Com Maria”, e segundo fonte da editora católica, “contém uma seleção de textos dos Papas que estiveram em Fátima, de monsenhor Luciano Guerra [ex-reitor do santuário de Fátima, da Conferência Episcopal, ilustrada por ilustrações de Rosa Amaral, e um CD com uma coletânea de músicas marianas executadas pelo padre António Cartageno e o maestro Luís Filipe Fernandes, com o hino do centenário e o hino de acolhimento ao Santo Padre na visita a Portugal”.
Outro título a editar, com a chancela da Livros Horizonte, é “Invocações de Nossa Senhora na Cidade de Lisboa”, de João Martins Vieira.
A Âncora Editora projeta duas reedições, “Fátima”, de Eduardo Teixeira Coelho, que saiu em 1985, e “A Caminho de Fátima”, de Mário Castrim, publicado em 1992.
As Edições Esgotadas vão editar ainda este mês “A história das aparições de Fátima – “Portugal e o mundo da sua época”, do historiador José de Carvalho, com prefácio de João César das Neves. A obra, justifica, “mostra como, ao fim de cem anos, ainda há muito para tirar do tesouro da Mensagem. Basta ter os olhos e os ouvidos abertos com a simplicidade dos pastorinhos”.
O público infanto-juvenil não passou despercebido aos editores, e a Booksmile vai publicar, ainda este mês, um livro sobre “A História dos três pastorinhos”, da autoria Sérgio Franclim com ilustrações de Diana de Oliveira. Esta obra inclui algumas das orações para as crianças aprenderem a rezar.
Os Livros Horizonte, por seu turno, contam publicar “As aventuras do Papa Chico e os Três Pastorinhos”, de John Wolf, com ilustrações de Osvaldo Medina. 

O livro “Factos e Figuras de Fátima – Um Dicionário”, de Helder Guégués, é publicado na quarta-feira, um novo título a juntar à lista de dezenas de edições que assinalam o centenário das “aparições”.

Helder Guègues é autor, entre outros livros, de “Todos os dias com Francisco” (2016), e segundo a editora Clube do Autor, esta obra apresenta Fátima “desde o primeiro dia”, “da tantas vezes esquecida primeira aparição do anjo, até à vinda, agora, do último peregrino, o papa Francisco”.
O centenário das “aparições” em Fátima motivou um conjunto de edições livreiras, nem todas na perspetiva católica, como o livro da jornalista Leonor Xavier, “Peregrinações”, que recolheu testemunhos de 70 personalidades sobre o sentido de “peregrinação”.
“1917. O Ano que Mudou o Mundo”, de Angelo d’Orsi, com prefácio do escritor Miguel Real, é outra obra que, fora do contexto católico, realça os acontecimentos em Fátima no “mês sobrenatural de maio”, como escreve o historiador italiano.
Há semanas, a Porto Editora publicou “Fátima, a Profecia que Assusta o Vaticano”, de autoria do jornalista e escritor João Céu e Silva, obra na qual questiona a terceira parte do “segredo de Fátima”, revelada em 2000, e interroga, “quem será o papa sob ameaça”.
“Nesta investigação sobre os cem anos das aparições de Fátima tentou-se encontrar uma resposta para quem será o papa sobre ameaça. Sobretudo, se estará correta a reivindicação de João Paulo II como protagonista do segredo que os pastorinhos guardaram”, segundo a Porto Editora.
Logo em janeiro passado, esta editora publicou “Fátima – Milagre ou Construção?”, da jornalista Patrícia Carvalho.
Com a chancela da Elsinore será publicado em maio “As Guerras de Fátima”, do jornalista Paulo Moura, “uma investigação histórica e jornalística com base na análise de documentos produzidos ao longo dos últimos cem anos, e em entrevistas com os protagonistas ainda vivos da mais delirante intriga político-religiosa do século XX”, adiantou à agência Lusa fonte editorial.
Segundo a mesma fonte, “20 anos depois das aparições, o clero português, por influência dos líderes políticos do Estado Novo, que por sua vez se encontravam pressionados pela Alemanha, influenciaram a irmã Lúcia para que revelasse um segundo segredo de Fátima: a Rússia era a causa de todas as guerras e deveria ser convertida”.
Outra obra a editar é “Fátima: Toda a Verdade”, de Saverio Gaeta, autor de mais de 60 títulos, que iniciou carreira como jornalista no semanário católico Nuova Stagione, e mais tarde fez parte da redação do jornal da Santa Sé, L'Osservatore Romano, e é desde 1991 editor-chefe do semanário Famiglia Cristiana.
No contexto do centenário, a Tinta da China publica, no próximo dia 13, em versão “livro de bolso”, “O Sol Bailou ao Meio-Dia. A criação de Fátima”, de Luís Filipe Torgal, com prefácio do historiador Fernando Rosas.
Segundo a editora, o autor “analisa sem agenda religiosa o modo como a Igreja Católica estimulou, disciplinou e enquadrou ideologicamente o culto, transformando-o num fenómeno e instrumentalizando-o a seu favor”.
Esta semana foi publicado pela Porto Editora o álbum de fotografias “Fátima - Enquanto Houver Portugueses” de Alfredo Cunha, com introdução do jornalista António Marujo, coautor com Rui Paulo da Cruz, de “A Senhora de Maio: Todas as Perguntas sobre Fátima”, editado em fevereiro.
A editora católica Paulus publica, este mês, um livro ilustrado intitulado “Nossa Senhora de Fátima e o Poder da Oração”, de João Carvalho, uma obra “onde se revelam as orações ensinadas e mandadas rezar pelo anjo e por Nossa Senhora”, segundo a editora.
A Paulus publica, também este mês, “Cartas que a Oração Escreveu. Um Seminarista à Irmã Lúcia”, do padre João Luís Silva, uma constituída por uma “série de cartas que o autor escreveu imaginariamente à irmã Lúcia, vidente de Fátima, como se de um diálogo espiritual se tratasse”, explicou fonte da Paulus.
Um livro/CD é outra edição em perspetiva, intitula-se “Com Maria”, e segundo fonte da editora católica, “contém uma seleção de textos dos Papas que estiveram em Fátima, de monsenhor Luciano Guerra [ex-reitor do santuário de Fátima, da Conferência Episcopal, ilustrada por ilustrações de Rosa Amaral, e um CD com uma coletânea de músicas marianas executadas pelo padre António Cartageno e o maestro Luís Filipe Fernandes, com o hino do centenário e o hino de acolhimento ao Santo Padre na visita a Portugal”.
Outro título a editar, com a chancela da Livros Horizonte, é “Invocações de Nossa Senhora na Cidade de Lisboa”, de João Martins Vieira.
A Âncora Editora projeta duas reedições, “Fátima”, de Eduardo Teixeira Coelho, que saiu em 1985, e “A Caminho de Fátima”, de Mário Castrim, publicado em 1992.
As Edições Esgotadas vão editar ainda este mês “A história das aparições de Fátima – “Portugal e o mundo da sua época”, do historiador José de Carvalho, com prefácio de João César das Neves. A obra, justifica, “mostra como, ao fim de cem anos, ainda há muito para tirar do tesouro da Mensagem. Basta ter os olhos e os ouvidos abertos com a simplicidade dos pastorinhos”.
O público infanto-juvenil não passou despercebido aos editores, e a Booksmile vai publicar, ainda este mês, um livro sobre “A História dos três pastorinhos”, da autoria Sérgio Franclim com ilustrações de Diana de Oliveira. Esta obra inclui algumas das orações para as crianças aprenderem a rezar.
Os Livros Horizonte, por seu turno, contam publicar “As aventuras do Papa Chico e os Três Pastorinhos”, de John Wolf, com ilustrações de Osvaldo Medina.

Autoria e outros dados (tags, etc)




Bem-vindo


Parcerias


Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D

Visitas

Flag Counter