Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]




 

O jornalista José A. Salvador, que conheceu o José Afonso, escreveu uma biografia do intérprete e compositor intitulada “Zeca Afonso – Livra-te do Medo”, na qual revela documentos inéditos.
Trata-se de "uma biografia largamente ilustrada com fotografias, fac-similes de manuscritos e vários documentos inéditos" dos arquivos da polícia política anterior ao 25 de Abril de 1974, a Polícia Internacional de Defesa do Estado (PIDE), e da Censura, estrutura que visava antecipadamente todas as publicações e espetáculos públicos em Portugal, truncando obras ou proibindo-as, como aconteceu às canções "Traz outro amigo também" e "Venham mais cinco", de José Afonso, afirma em comunicado a Porto Editora, que chancela a obra.
É “a obra mais completa até hoje publicada sobre José Afonso”, atesta e editora que salienta: “José Afonso foi indiscutivelmente uma das grandes vozes da Revolução de Abril. ‘Grândola, Vila Morena’ é um tema que, ainda hoje, procura ser instrumento de intervenção, e este ano, além dos 40 anos do 25 de Abril, comemoram-se também os 50 anos desta canção”, quando em “maio de 1964, José Afonso foi cantar à Sociedade Fraternidade Operária Grandolense, acontecimento que o inspiraria a escrever” a canção do álbum “Cantigas do Maio”, de 1971.
A obra é prefaciada pelo jornalista Adelino Gomes e "apresenta uma longa entrevista ao cantautor, bem como depoimentos de familiares e amigos".
Esta biografia "permite ainda conhecer a relação [de José Afonso] com a literatura, a sua biblioteca, de 829 livros numerados e assinados, o início da carreira, os tempos de perseguição e prisão, e a doença que lhe foi fatal", escreve a editora.
De seu nome completo José Manuel Cerqueira Afonso dos Santos, nasceu a 02 de agosto de 1929 em Aveiro e ficou conhecido como Zeca Afonso, tendo iniciado a carreira em Coimbra, onde fez parte do Orfeão Académico e da Tuna Universitária, seguindo-se uma carreira a solo como intérprete de fados e baladas. Gravou o primeiro disco, nos inícios da década de 1950, de 78 rotações, com fados de Coimbra, editados pela discográfica Alvorada.
O músico cumpriu o serviço militar obrigatório e, já licenciado em Ciências Histórico-Filosóficas pela Universidade de Coimbra, iniciou a carreira docente, mantendo ligações com o meio musical coimbrão, relacionando-se em simultâneo com Adriano Correia de Oliveira, Manuel Alegre e José Niza, entre outros.
Em 1963 editou aqueles que são os primeiros temas de cariz político, "Os Vampiros" e "Menino do Bairro Negro", que faziam parte do alinhamento do disco "Baladas de Coimbra", que a Censura proibiu.
Fez digressões pela Europa e estabeleceu residência em Moçambique, entre 1964 e 1967, onde estavam os pais, regressando a Portugal, onde voltou a lecionar, tendo a ditadura procedido à sua expulsão do Ensino Público, por razões políticas.
Em 1969, em Paris, participou no I Encontro da "Chanson Portugaise de Combat". Gravou, entretanto, o disco "Cantares do Andarilho", que lhe valeu o Prémio da Casa da Imprensa, para o Melhor Disco do Ano, e o Prémio da Melhor Interpretação, ao qual se sucedeu "Cantigas de Maio", tendo sido preso, em 1973, pela PIDE, no Forte de Caxias.
Após o 25 de Abril de 1974, envolveu-se diretamente na política, participando em sessões de Canto Livre e na campanha de alfabetização do Movimento das Forças Armadas e apoiou os candidatos presidenciais Otelo Saraiva de Carvalho (1976) e Maria de Lourdes Pintasilgo (1984).
No dia 23 de fevereiro de 1987, morreu em Setúbal, vítima de esclerose lateral amiotrófica, que lhe fora diagnosticada em 1982. No dia seguinte, o seu funeral foi acompanhado por cerca de 30 mil pessoas, segundo a Associação José Afonso.
o autor de "Zeca Afonso - Livra-te do medo", José António Salvador, conheceu José Afonso quando frequentou a Faculdade de Direito da Universidade de Coimbra, e fez parte da Direção-Geral da Associação Académica de Coimbra, durante a crise estudantil de 1969.
Com 66 anos, José A. Salvador é jornalista desde 1969, quando iniciou a atividade profissional n'O Comércio do Porto, tendo feito parte, posteriormente, das redações do vespertino Diário Popular e do semanário O Jornal, assim como da redação inicial da televisão SIC, onde, durante dois anos, programou a informação.
O Clube de Imprensa distinguiu-o por duas vezes com o primeiro Prémio Viagem pelas reportagens "Tejo, por este rio acima" e "Cabo Verde, o sonho das ilhas".
"Zeca Afonso - Livra-te do medo" sucede aos dois trabalhos anteriores do jornalista sobre o autor de "Grândola, vila morena": "Livra-te do Medo - Histórias e Andanças do Zeca Afonso", de 1985, e "José Afonso: O Rosto da Utopia", de 1994.

Autoria e outros dados (tags, etc)




Bem-vindo


Parcerias


Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D

Visitas

Flag Counter