Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]




562500_10150880348213624_1704088153_n-e14074562145

Nove investigadores de diferentes áreas da História foram hoje distinguidos pela Academia Portuguesa da História (APH) por trabalhos de investigação publicados entre 2013 e 2014.

O Prémio Lusitânia, no valor de 2.000 euros, que contempla estudos na área da História de Portugal, em qualquer época, galardoou a obra de Giuseppe Marcocci e José Pedro Paiva “História da Inquisição Portuguesa (1536-1821)”, editada no ano passado, pel'A Esfera dos Livros.
Os Prémios Fundação Calouste Gulbenkian, no valor de 2.000 euros cada, distinguiram, em História Moderna e Contemporânea de Portugal, a obra “Uma História da Maçonaria em Portugal”, de António Ventura, editada pelo Circulo de Leitores este ano; na área de História da Europa, o livro “Homem de grossa fazenda”, de Francesco Guidi-Bruscoli e Bartolomeo Marchionni, publicado este ano, pela Leo S.Olschki Editore.
O Prémio Gulbenkian em História da Presença de Portugal no Mundo, distinguiu ex-aequo as obras “Heráldica portuguesa na porcelana da China Qing”, de Pedro Dias, editada em 2014 pela Fundação Macau/Centro Cientifico e Cultural de Macau, e “Arquitetura Moderna em África: Angola e Moçambique”, de Ana Tostões, editada pelo Técnico/Instituto Superior Técnico, no ano passado.
Com o Prémio Joaquim Veríssimo Serrão, no valor de 2.500 euros, foi distinguida Margarida Garcez Ventura, pela obra “A Corte de D. Duarte. Política, Cultura e Afectos”, editada em 2013 pela Verso da História.
A obra de Fernando Branco Correia “Elvas na Idade Média”, publicada pelas Edições Colibri, recebeu o Prémio Pedro da Cunha e Serra, no valor de mil euros, que distingue estudos de Onomástica, Antroponímia e Arabismo.
O Prémio 8.º Conde dos Arcos–Vice-Rei do Brasil, no valor de 900 euros, que visa galardoar estudos de investigação no âmbito da História Luso-Brasileira, foi para Maria Beltrão, pelo livro “A Vila de Santo Antônio de Sá e o Convento de São Boaventura”, editado este ano, pela editora brasileira Casa da Palavra.
Laurinda Abreu recebeu o Prémio Francisco da Gama Caeiro, no valor de 1.500 euros, pela obra “O poder e os pobres. As dinâmicas políticas e sociais da pobreza e da assistência em Portugal (séculos XVI-XVIII)”, saída este ano pela Gradiva.
A obra “A Arte da Guerra em Portugal (1245-1367)”, de Miguel Gomes Martins, editada pela Imprensa da Universidade de Coimbra este ano, recebe o Prémio Augusto Botelho da Costa Veiga, no valor de 750 euros.
A APH foi instituída em 1936, mas a sua criação remonta a 1720, como Real Academia Portuguesa da História, pelo Rei D. João V. A APH está instalada no Palácio dos Lilases, ao Lumiar, em Lisboa.

Autoria e outros dados (tags, etc)




Bem-vindo


Parcerias


Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D

Visitas

Flag Counter