Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]







Maria da Fé, com mais de 50 anos de carreira artística, junta-se à filha, Rita Gordo, no domingo, dia 03 de novembro, às 17:00, no palco pequeno auditório do Centro Cultural de Belém, para apresentar “Fado Mãe”.

Eu e a minha mãe, entre outros, iremos interpretar em duo ‘Sete Colinas’”, disse Rita Gordo à Lusa, citada pelo DN, que não escondeu “a grande emoção de cantar lado a lado" com Maria da Fé.

"Além de mãe admiro-a como grande intérprete que é, e pelo lugar que ocupa na música portuguesa, no meu álbum 'Eu sou assim' não resisti em gravar um tema seu, à minha maneira, o 'Sem carinho – Padre Nosso’, do Frederico de Brito e de Armando Freire".

Rita Gordo e Maria da Fé já partilharam o palco no B’Leza e no Festival Caixa Alfama, em setembro passado, com grande sucesso.

Desta vez é diferente, até porque vou interpretar cinco fados da minha mãe, nomeadamente ‘O que é que eu digo à saudade’, que é um emblemático da sua carreira, e o ‘Fado Fé’”, disse Rita Gordo.

Rita Gordo afirmou que tem “uma linha completamente diferente” da de Maria da Fé, apesar de “se reconhecerem influências e pontos de contacto”.

"Nasci e cresci a ouvir fado, mas procuro uma outra linha melódica sem renegar as origens - filha de fadista e pai poeta, que tem a maioria da sua produção cantada à guitarra e à viola, e gerimos desde 1975 uma casa de fados em Lisboa - não nego tudo isto", sublinhou.

Levei tempo a descobri o meu canto e a minha linha melódica, sabia que não era ‘fado fado’, mas sempre gostei de cantar e o Paulo [Parreira] incentivou-me muito a gravar”, contou.

Guitarrista, compositor e o produtor do álbum "Eu sou assim", Paulo Parreira assina os arranjos e algumas composições em parceria com Rita Gordo.

A cantora afirmou que, a definir-se a sua música, ela “anda algures entre o fado, o jazz e o pop fado”.
















A expressão “pop fado” foi uma experiência de Maria da Fé quando, em 1967, gravou um disco com o divulgador de jazz José Duarte.

A ideia foi do José Duarte e de um senhor chamado Raul Calado [publicitário, fundador do Clube Universitário de Jazz], homens do jazz, que me ouviram cantar na casa de fados A Tipóia. O disco foi gravado com a guitarra portuguesa do [José] Fontes Rocha, bateria e guitarra elétrica. Tinha quatro fados, mas só gravei três: ‘Lugar vazio’, criado pelo Tony de Matos, o ‘Fado Faia’, criação da Berta Cardoso, e ‘O namorico da Rita’. Ficou por gravar a voz, porque me constipei, na ‘Janela do rés-do-chão’, um fado marcha, e ficou só o instrumental", contou a fadista Maria da Fé à Lusa.

Maria da Fé, natural do Porto, e já distinguida com a Medalha de Ouro da Cidade de Lisboa, entre outras condecorações, como a de Oficial da Ordem do Infante D. Henrique, que recebeu este ano, gravou o primeiro disco em 1959.

"O meu primeiro disco foi um EP, com quatro fados: dois meus e dois do Fernando Manuel, que era um rapaz que cantava na [casa de fados] Viela. Gravámos num sítio incrível, numa cave de uma casa de eletrodomésticos, que era do Arnaldo Trindade, na rua de Santa Catarina, em frente ao Café Majestic, no Porto. Gravei ‘Eu canto fado’ e ‘Sou tua’, do Casimiro Ramos".

"Valeu a Pena", "Primeiro Amor", "Fado Errado", "Cantarei até que a Voz me Doa" são fados que Maria da Fé irá interpretar assim como a canção “Vento do Norte”, com a qual concorreu ao Festival RTP da Canção, em 1969.

No concerto de dia 03 de novembro, domingo, às 17:00, no pequenmo auditório do CCB, as duas intérpretes serão acompanhadas por Paulo Parreira, na guitarra portuguesa, Rogério Ferreira, na viola e Paulo Paz, no contrabaixo.

Foto: Produção do espetáculo

 

Autoria e outros dados (tags, etc)




Bem-vindo


Parcerias


Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D

Visitas

Flag Counter